Rezenha Crítica Spotlight – Segredos Revelados 2015

Gente eu também tinha achado o Oscar 2015 uma baita zebra, mas depois acabei assistindo Spotlight, para saber a razão desta vitória inesperada, e mesmo os FDP da academia tendo errado com Stallone, neste caso de Melhor Filme acertaram, usando a lógica deles, onde dificilmente se premia uma ficção (Eu era um Mad Fucker Max).

Achei que Spotlight – Segredos Revelados iria cair naquele ostracismo de listas e matérias onde figuram filmes que ganharam injustamente o Oscar de melhor filme, mas tive um ledo engano (Adoro esta palavra ledo).

Vamos começar pela trilha sonora, aquele tema no piano composto por Howard Shore te prende e deixa-o ansioso e tenso com cada tomada querendo saber o desfecho do filme. É aquele típico tema que me faz ficar ouvindo várias e várias vezes em dias aleatórios, assim como Bill Conti em Rocky, Ludovico Einaudi em Os Intocáveis e com Pierre van Dormael no Cult Mr. Nobody.

O filme trata de um departamento independente do jornal Globe chamado Spotlight em meados dos anos 2001, onde com a mudança do editor chefe, o “novato experiente e judeu” solicita que este departamento que tem como premissa o jornalismo investigativo de voltar-se ao tema de padres pedófilos, pois o mesmo suspeita que na cidade de Boston (Uma cidade absurdamente católica) tenha inúmeros casos “abafados” pela igreja. Tema complexo e bem polêmico. Filmes do gênero costumam ser bem chatos, mas não é o caso desse, onde os personagens que fazem parte do departamento estão muito bem entrosados como se fosse uma equipe que trabalha junto a anos, e os demais personagens do ambiente fazem seu papel de asco e alienação diante da igreja. Isso deixa você telespectador com mais pulga na orelha e raiva.

O tempo de  exibição contribui para que o filme não seja monótomo, em muitas outras opiniões li que o filme é lento e chato, mas aí vai da pessoa e a vontade que ela está de assistir. Quando peguei o filme já imaginava que não teria uma ação alucinante, pode ser que estas pessoas tenham assistido com esta intenção. É uma película mais voltada para o suspense mesmo, com uma pegada bem tensa se você mergulha na “porra suja toda”.

Eu não parti para a área jornalística, mas sou fã de vários jornalistas brasileiros que partiram para este perigoso e instigante meio, eu simplesmente adoro histórias do gênero, com finais felizes ou não. Mas só a coragem de enfrentar os grandes em busca da verdade deve ser muito recompensador, tanto que esta história real tratada, respingou no Brasil, nas cidades de Arapiraca (AL), Franca (SP), Rio de Janeiro (RJ) e Mariana (MG – Cidade azarada).

Algumas curiosidades: Eu não gosto do Mark Ruffalo, mas o puto está na maioria dos filmes realmente bons, que eu assisti e gostado. O Michael Keaton pelo segundo ano consecutivo é protagonista de um filme ganhador do Oscar de Melhor Filme, é um legítimo CALA BOCA para alguns.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s