O que está pintando de bom no Hard Rock atual

Para desprender-se um pouco do passado, mas sem esquecê-lo e adorá-lo, hoje vou disponibilizar duas excelentes dicas que garimpando pela infinta highway da Internet localizei. Ouvi o som dos caras e mesmo um estilo que surgiu na década de 70 e quase morreu nos anos 2000, soa tão bom quanto, e me faz voltar ao passado. Confira e ouça, vamos falar sobre as bandas Dirty Penny e Wig Wam.

Não sou músico, nem por profissão e muito menos por Hobby, o único instrumento que sei tocar é a … ksksks. Brincadeiras a parte, o Rock N’ Roll corre em minhas veias, desde o final da década de 90 ouço quase que diariamente para descansar e trabalhar, funciona como um energético criativo.

Ultimamente fiquei curioso para descobrir se ainda existiam algumas bandas novas que tocassem o Hard Rock, derivação do Rock N’Roll onde as que sou mais fã (Guns, AC/DC, Van halen, Scorpions, Gotthard) enquadram-se neste nicho.

E tive a grata que surpresa que em em pleno 2016 ainda existam, foi difícil achar, porque muitas “pisam de leve” no Hard Rock, entretanto caem mais para o Metal. Entre uma e outra, os vocais cantavam e tocavam algum instrumento juntamente,  e para uma típica banda de Hard Rock o vocal tem que ser apenas o vocal, já fui “peneirando” também das minhas pesquisas. Depois de muito procurar, me deparei com duas bandas muito boas, a Dirty Penny e a Wig Wam.

Dirty Penny

O nome é bem simbólico, traduzindo ao pé da letra, é troco sujo, achei bem sugestivo. O som me lembra muito Van Halen, com o vocal conseguindo fazer o impossível, fundir a qualidade vocal de Sammy Hagar com a presença de palco de David Lee Roth (inclusive o visual dele lembra muito Lee Roth no começo). Ao que tudo indica a banda possui dois álbuns:

Take it Sleezy  de 2007 que possui a pancada Scream & Shout (A primeira que ouvi e pirei) e as também pegadas que curti demais Vendetta, Runnin’ Wild,  Take a Bite e Midnight Ride.

Take_It_Sleezy

Young & Reckless  de 2009 tem a mesma pegada Hard Rock continuaram fiéis ao estilo, porém pelo que li em sua biografia e depois reparei nos clips das músicas do álbum, deram uma reduzida no exagero visual, aquelas paradas Glam Rock.  algumas músicas que curti deste álbum: If I Were You I’d Hate Me Too, In Luv with Insanity e On My Sleeve. Mas o álbum todo, assim com o o primeiro vale a pena conferir.

Young_&_Reckless

É notório a influência de Guns, Motley Crue e Poison no som dos caras. Se eles tivessem mais um guitarrista e incluíssem uns arranjos solos de guitarra ficariam no grau as músicas, mais do que já são.  São vencedores de um concurso chamado “Battle of Bands” patrocinado pela jpotmusic.com (Pesquisado da Wikipedia ksks).

Parece que em 2012 a banda acabou, pois não achei mais nada sobre eles, uma pena, porque tinham futuro.

Wig Wam

A Wig Wam é outra grata surpresa, achei que lá na região da Escandinávia só rolava Heavy e Black Metal, mas aí me deparo com uma banda norueguesa de Hard Rock. Não pensei duas vezes. Coloquei o Play e não me arrependi, o sangue começo até borbulha, a pegada dos caras é bem fiel ao  Mötley Crüe (banda com uma história imensa, mas que comecei ouvir e curtir em meados de 2014) e o vocalista se não é filho do Alice Cooper, é parente ksksksks.

A banda já tem seus 15 anos e  4 álbuns:

  • 667.. The Neighbour of the Beast / Hard to Be a Rock’n Roller (2004)
  • Wig Wamania (2006)
  • Non Stop Rock’n Roll (2010)
  • Wall Street (2012)

Vou falar sobre os dois primeiros, pois os outros dois ainda não tive tempo de ouvir.

667.. The Neighbour of the Beast / Hard to Be a Rock’n Roller (2004)

667TheNeighbourOfTheBeast B000H1QQM8

Poderia falar de todas mas a In My Dreams, Crazy Things e a Hard To Be A Rock’N Roller foram lançadas como singles, e sucesso pela Europa (Bless the night também foi um single, mas particularmente não curti). Diferente da Dirty Penny que foi um negócio mais nacional, a Wig Wam está bem conhecida na Europa. Os riffs são uma marca da banda e remetem muito ao clássico Hard Rock sem copiar. Este álbum lançou a banda no Eurovison, festival europeu de música, um dos mais conhecidos e aguardados, não ganharam, mas o vencedor sequer é lembrado e eles continuam na ativa, o que ganhar festival nunca é sinônimo de sucesso.

Wig Wamania (2006)

O Hard Rock está ali ainda, entretanto assim como o Guns N’ Roses fez com os Ilusions, a Wig Wam deu uma estilizada, adicionou músicas com outros estilos, nada que afetasse a qualidade, eu curti demais. A Gonna Get You Someday é sensacional, além das Daredevil Heat, Bygone Zone e At the End of the Day que foram singles lançados. Mas a homenagem que fazem a  Peter Frampton com a Breaking All the Rules me deixou surpreso. Digo homenagem porque não foi um cover, e sim uma adaptação que ficou de muito bom gosto.

R-3568969-1337296426-5040.jpeg

Neste momento estou ouvindo ama banda sueca chamada Elipse, indicada pelo leitor Sergio Beggiato no post do Gotthard. Hard Rock puxado pro metal. Até agora estou curtindo. E você tem alguma indicação que possa compartilhar conosco? Aguardo seu comentário.

Obrigado pela visita.

Anúncios

2 comentários sobre “O que está pintando de bom no Hard Rock atual

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s