Um BIS no Camping da cachoeira Saltão

E para matar a saudade da última acampada que fora há dois meses no final do ano de 2016 em Analândia (Confiram clicando aqui!), consegui reunir uma segunda parte de fotos de uma das vezes que acampei na cachoeira Saltão, no Mirante das Águas, próximo à Itirapina. Em outra oportunidade já havia feito um relato (Fotos de 2013 e 2016, clique aqui e confira), mas como já fui 4 vezes, achei legal criar uma continuação, porque merece, é um lugar muito lindo, resumindo, do caralho. E as fotos a seguir são de 2015 quando fiz o impossível, reuni os meus melhores amigos em um evento que “torrou” o fim de semana inteiro juntos. E sabe… estava pensando, adivinhem quando essa reunião poderá ocorrer novamente? Talvez infelizmente só no meu velório, =/.

Com o Bala de Prata e o Jiraya estupidamente lotados, tomamos rumo ignorado.

Para todos que me perguntam dicas (Não sou nenhum especialista, costumo me auto denominar “Lobinho” nesse meio ksksksksksks) de onde acampar costumo sem pestanejar indicar a cachoeira Saltão para dar o primeiro passo, e sabem porquê?

Primeiro porque não fica muito longe, situa-se adiante de Itirapina, aproximadamente a 130 Km de Matão-SP (1:30 de carro). É um local privado, gerido pela empresa Mirante das Águas, que podemos destacar como sinônimo de limpeza e organização. Vai por mim, não tem nem como utilizar como desculpa falar sobre animais peçonhentos e mosquitos, nem isso tem lá de tão limpo. Funcionários trabalhando 24 horas para manter banheiros limpos e manutenção em dia, além da famosa quitanda que fica localizada no ponto central do camping para servir aos hóspedes (sejam campistas ou dos chalés). Resumindo não tem nenhum fator que possa traumatizar a sua primeira experiência, nem se chover.

Meus melhores amigos reunidos em nosso quiosque, e de fundo as barracas. Tínhamos acabado de chegar! A canadense sofri para montar, aff primeira vez utilizando ela nesse dia, estava até meio desalinhada ksksksks…

Em datas festivas eles costumam realizar eventos interessantes, até com bandas no local, ai vai variar do que procura (sossego ou agito, ou os dois misturados ksksks).

Outro detalhe importante é a quantidade de quiosques, incontável, ou seja, é improvável ficar sem um espaço para churrasquear com a galera e tomar aquela gelada. E o melhor de tudo além das cachoeiras, você tem disponível duas piscinas para deleitar-se e descansar das trilhas até as cachoeiras (E lá você pode… continuar tomando aquela gelada, e ainda descer de tobogã suavão).

Apenas fica de dica como falei no post anterior, e isso serve para qualquer acampada, nunca esqueça grelhas e espetos para churrasco, extensão elétrica e uma lona. Sim, porque os três primeiros se for comprar no local, será a preço de ouro, e a lona porque nesse dia que fomos fez um vento atemporal, fora de nossa realidade, e uma lona nesse dia teria sido utilizada como barreira no quiosque e teríamos estendido nossa noite de boa sem sofrer com os ventos fortes. Poderíamos ter virado a noite tomando uma e “reZenhando” (desculpem o trocadilho).

Pensa num frio desgraçado! Copinho na mão, copinho na mão!

Ainda sim, levamos à risca aquela fatídica frase: Nós se fode, mas se diverte! E sorrir, até em momentos difíceis…

Até que chegou uma hora que a churrasqueira apagou com o vento, aí foi hora de ir dormir, não era nem 21 horas! Frustração total além de termos que amarrar as barracas iglus nas árvores para não levantar vôo, LEVEM CORDAS!

A vista é linda, com paisagens surreais direto da serra, um local imenso que te dá a oportunidade de “armar a barraca” onde quiser com segurança e tranquilidade, são mais de 100 quiosques que incluem bancos para sentar, pontos de energia elétrica e uma churrasqueira para você acomodar-se escolhendo aquele que bem entender. Uma dica são os quiosques centrais, que possuem bancos com encosto para as costas, parece frescura, mas faz toda a diferença.

Olha essa paisagem, caraca!

Apesar da área possuir inúmeras árvores, procure instalar sua barraca preferencialmente de uma forma onde o sol após o meio dia não pegue, ou pelo menos pegue por um curto espaço de tempo, digo isso em virtude do calor e sol senegalês que possuímos da 12:00 até as 16:00 em nosso país.

O horário de entrada e saída é das 16:00 às 16:00, entretanto por 20 temers a mais, você pode fazer uma diária e meia, entrando a partir das 8:00 da manhã. Como dica, aconselho ir pela manhã, para camping não é preciso realizar reserva, apenas quem for utilizar os chalés.

Se quiser saber mais detalhes acessem este post que fiz primeiro, onde há detalhes sobre as cachoeiras entre outras curiosidades, desde já, obrigado. Abaixo seguem algumas lembranças, muito especiais, com um valor inestimável.

Foto da turma próximo a primeira cachoeira, do Monjolinho, logo pela manhã.

Panorâmica da cachoeira!

Agora pára e pensa num frio que estava essa água lá pelas sete da manhã? É pra tirar qualquer ressaca! Doug afundando congelado ksksks…

Aquele urro de desespero para espantar o frio! Só nós entramos, o resto é tudo bunda mole! Gente eu estava muito gordo ksksks…

Linda foto, mereceu ser capa – NÓS ÉRAMOS INVENCÍVEIS!

NÓS ÉRAMOS INVENCÍVEIS!

Contraste de condicionamento físico!

Mais uma da cachoeira do Monjolinho!

Famoso cantinho de foto dos casais!

Tiraram esta sequência de fotos para sacanear quem fosse cair, todos morreram mas passam bem!

RUN Forrest! RUN! Mesma coisa essa, demos um pique e tiraram achando que íamos cair!

À caminho da famosa cachoeira do Saltão, parece foto de capa de seriado ou filme!

Magnitude imponente!

Créditos desta e de todas fotos deste post à Nanda! A Natureza sempre é mais esperta.

Sabe-se lá o que estávamos falando e rindo aqui!

#Partiu para a última “cachoeira”

Erva da boa! Satisfação total!

Cheiro daquele queijinho chamado ricota… Putaria generalizada! O Meni em danger sem saber o que estava acontecendo ksksksks

Vale mais a pena a trilha do que ver a “cachoeira” da ferradura… Só um filetinho.

Gostei dessa foto, apenas!

E aqui uma linda foto, que será de capa do meu Facebook! O bala de prata desfilando pelos eucaliptos paulistas! Voltando pra casa!

E só ficou a saudade, apenas!

E um adendo valioso aqui!

Então é isso pessoal, como meu primeiro post sobre Camping foi justo sobre Saltão, resolvi postar esta “segunda parte” com mais detalhes fotográficos de imagens recuperadas (Ainda bem!). Espero que tenham gostado. E se o post influenciou vocês a irem, comentem o que acharam do lugar.

Confiram outros relatos aqui!!!

Siga-nos no WordPress – https://rezenhando.wordpress.com/
Siga-nos no Twitter – https://twitter.com/Birovisky
Curta no Facebook – https://www.facebook.com/rezenhandoaculturapopaz/
Inscreva-se no Youtube – https://www.youtube.com/channel/UCCfmjZm3KuEE-XsNhfBnqvQ

Anúncios

9 comentários sobre “Um BIS no Camping da cachoeira Saltão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s