Silvio Santos, a maior lenda da televisão

wallpaper silvio santos

“(…) Agora é hora, de alegria, vamos sorrir e cantar, do mundo não se leva nada, vamos sorrir e cantar (…)” e assim que Silvio Santos nos brinda e inicia seu programa todo santo domingo durante pelo menos 50 anos. O homem do Baú não diz nada mais que a verdade durante todo este tempo, no entanto muitos ainda não conseguiram (Ou não fazem esforço) entender. Independente disso, nada mais do que justo esta homenagem, pelo menos para mim, a uma das maiores lendas vivas da televisão e exemplo de pessoa, perseverança e empreendedorismo. Para comemorar o seu 86º aniversário (Comemorado mês passado), conheça 86 fatos que você não sabia sobre Silvio Santos 🎂.

Continuar lendo

Anúncios

Síndrome de Don Juan, o jogo da sedução

sindrome don juan

Por muitas vezes, tanto os homens quanto as mulheres, tendem a justificar sua solidão por não encontrar alguém ou quando encontram relatam que não conseguem viver um “amor”. Nessa inquietude da conquista, certa instabilidade gera uma busca pelo grande objeto do desejo no processo de “conquistar” que se distancia do encontro com a pessoa a ser conquistada. Não importa se você está em um bar, em uma danceteria, em um pub, em um café ou na feirinha do bairro, estamos sujeitos a nos deparar com uma situações relacionadas a uma síndrome que fica mais evidente em ambientes sociais e que o próprio nome é bastante sugestivo: a Síndrome de Don Juan!

Continuar lendo

Fazemos Parte de um Seleto Grupo de Privilegiados, Prazer Geração Y!

Geraçao-Y

Estava de bobeira aqui no sofá de casa e comecei a divagar sobre como sou um privilegiado em ter nascido nos anos 90. Muitos eventos inesquecíveis, personalidades surgiram e tiveram seu ápice nesta era. Quem nasceu entre 1981 a 2002 é conhecido como membro da Geração Y e se ler esta ReZenha e analisar, também pensará o mesmo.

Continuar lendo

Rezenha Crítica CREED 2016 – Não tem como não soltar a metralhadora de SPOILERS

capacreed2015

Terça-Feira, exatos 19 de janeiro de 2016 finalmente depois de muita espera e ansiedade pude ir ao cinema conferir o spin-off do Rocky Balboa, com certo otimismo mas receoso,  como sempre devemos ser para não nos decepcionarmos. Só posso dizer que foi imensuravelmente melhor do que já esperava e podia sentir que fosse. Meu principal meio de descobrir se um filme é bom ou não, é se ele me faz rir ou chorar. Mas são raros os filmes que me afetam destas duas maneiras ao mesmo tempo, e esse foi um deles.

Continuar lendo