Pós Verdade, a palavra do ano. Assim como a Selfie e Fake News

Pos Verdade

Selfie já foi a palavra do ano em algum momento, Fake News ano passado tomou conta de tudo em virtude das eleições dos Estados Unidos da América e este ano vai tomar (aqui no Brasil pelo menos por causa de nossas eleições), mas outro termo está começando a dar a caras pelo mundo, chama-se Pós Verdade e está diretamente ligado ao Fake News. Mas o que é? De onde surgiu? Como vivem? O que comem? Veja no Globo Repórter… brincadeiras à parte a Pós Verdade nada mais é do que quando um fato de cunho religioso, político ou sexual têm mais importância e é levado mais a sério do que um “fato venério”.

Uma notícia falsa viraliza, milhares de pessoas a compartilharam nas redes sociais. Mesmo depois de ter sido comprovado a incredibilidade dos fatos, ou seja, ser de fato uma notícia falsa, ainda sim dependendo da crença (política, religiosa ou sexual) dos que a compartilharam, as pessoas ainda acreditam naquilo fechando os olhos para a verdade.

Parece loucura, só que é o que mais tem acontecido ultimamente, o blogueiro que vos escreve já passou por isso em algum momento, tanto que hoje nem Facebook pessoal tem mais. Muitas vezes as páginas que seguia compartilhava conteúdo que eu acreditava ser verdade, o que não era. Hoje qualquer notícia que sai dificilmente eu acredito, quando chama muito atenção procuro dar uma rápida pesquisada por outras fontes mais confiáveis. O que mais via quando tinha Facebook era nego compartilhando conteúdo de páginas políticas e religiosas que estava na cara que era mentira, mas fazer o quê né? É mais fácil e cômodo compartilhar algo que você queria muito que fosse verdade do que pesquisar por outros meios e descobrir que não é. A verdade muitas vezes dói.

Com a polarização das redes sociais a Pós Verdade tende a aumentar mais, inclusive acho que já “rezenhei” por aqui sobre em: Facebook será o maior cemitério do mundoCom o aumento das redes sociais disponíveis, cada uma específica para um nicho de usuários e permitindo que o dito cujo selecione plataforma, conteúdo e pessoas que enquadrem-se apenas naquilo que gostam, uma redoma ou bolha social é criada, imagine você, naquele espaço só é compartilhado conteúdo no qual, muitas vezes falso, em que as pessoas acreditam como se fosse uma verdade absoluta. Um exemplo não muito distante de nossa realidade tupiniquim: LULA.

Independente do que fez ou deixou de fazer, hoje ele merece estar preso, isso não apaga um ótimo primeiro governo como Presidente. Quando as investigações para comprovarem algo contra o molusco estavam em seu ápice, o que mais se via eram notícias no mínimo exageradas e sempre com uma foto do molusco com cara de bravo. Tudo isso para influenciar a massa encefálica brasileira que prefere clicar em compartilhar (porque acredita piamente naquilo) do que averiguar em outra fonte confiável as informações se são verdadeiras.

Outro exemplo são dos que apoiam Bolsonaro porque acreditam que será a salvação da família entre outras baboseiras. Cuidado com o que vendem pra você meu amigo. Porque ninguém controla o ser humano. E se o seu filho tornar-se aquilo que o Bolsonaro combate? Provavelmente seu filho será exterminado junto com aquilo que você mais repugna.

E você conhece ou já tinha ouvido falar sobre esse termo? Não? Conte-nos para saber o que achou ou entendeu. O seu comentário é a alma do Blog.

Siga-nos no WordPress – https://rezenhando.wordpress.com/
Siga-nos no Twitter – https://twitter.com/Birovisky
Siga-nos no Instagram – https://instagram.com/Birovisky
Curta no Facebook – https://www.facebook.com/rezenhandoaculturapopaz/
Inscreva-se no Youtube – https://www.youtube.com/channel/UCCfmjZm3KuEE-XsNhfBnqvQ

Anúncios

9 comentários sobre “Pós Verdade, a palavra do ano. Assim como a Selfie e Fake News

  1. É incrível como a charge do artigo funciona, inclusive, para as mentiras tão confortáveis que o politicamente correto oferece em detrimento de todas as dolorosas verdades. O feio hoje em dia é bonito, o errado agora é certo e 2+2=5.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Ótimo texto Felipe.
    O problema é que a maior parte das pessoas se preocupam muito mais com curtidas e seguidores do que com o conteúdo que se posta e compartilha. Vejo pessoas brigando por causas e escrevendo textos enormes baseados em mentiras e calunias, coisas que, a própria pessoa que escreve nem pensou em pesquisar afundo sobre o que está escrevendo. É triste ver como a maioria da nossa população está vazia de conhecimento e cheia de curtidas. Uma ótima quinta pra você!!!

    Curtido por 1 pessoa

    • A geração da “lacração” que independente se está defendo uma mentira ou não quer “causar” e conseguir milhares de curtidas e compartilhamentos. Existem muitos vilões populares em nosso Brasil com certeza, mas nem por isso, baseado em uma mentira você tem que continuar caluniando alguém, assim como o Lula que citei. O que vi de nego xingando o cara, ou fazendo comentários muito nada haver a respeito me dava ódio! Obrigado pelo seu comentário Jose! Boa semana

      Curtir

  3. Já tinha ouvido falar no termo. Não acho o termo muito adequado ao seu significado, mas tb não sei sugerir um q seja.
    Particularmente, não levo esse um motivo p abandonar redes sociais, mas sim para dar umas boas gargalhadas. Kkkkkk
    Afinal, até os próprios jornais, aqueles q deixam as nossas mãos sujas de carbono tb editam fakes, e estimulam pós-verdades. As revistas nem se falam. Kkkk

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s